segunda-feira, 23 de outubro de 2017

O Chernobyl - O Rabugento se foi, mas as histórias continuam

   Depois de muito tempo sem postar nada e depois de mais tempo ainda da venda do Rabugento (sic!), enfim eu conto aqui essa história.

Ele se foi...

   Depois de quase 8 anos comigo, depois de muita estrada, muitos quilômetros rodados, muitas histórias adquiridas, eis que veio a necessidade de algo mais novo, a família crescendo demandava algo mais seguro e confiável (não que o Rabugento não fosse), então no fim de 2015 ele foi ofertado num site de vendas e assim ele partiu...

Última foto dele comigo

   e assim ele se foi, rumo a Caruaru...


video
Vídeo da partida

...essa parte sobre Caruaru é melhor deixar para lá, pois é meio nebulosa.

De Rabugento a Chernobyl 

   Como citei acima, entre a venda do Rabugento e ele se tornar o Chernobyl, houve um tempo nebuloso para ele, o carro ficou bem judiado, entedamos que certos "modimos" não combinam com algumas pessoas. Virando a página sobre esses problemas, calhou que em 2016 um cara cheio de tatuagens e com cara de mau (kkkkk) começou a curtir as postagens do Rabugento na funpage do facebook, então começo a conversar com o Sérgio (o cara com a cara de mau), fico sabendo que mesmo sem ter transferido os documentos do carro para seu nome, o "garoto" revendeu o Rabugento, por sorte o Sérgio entrou nesse "rolo" todo e de maneira responsável reergueu o ex-Rabugento, agora rebatizado de Chernobyl. Nome bem sugestivo, já que o Sérgio também curte a cultura Ratwagen.

Uma nova chance pro Rabug...Chernobyl

   Sérgio, ex-integrante do Abutres M.C., deixou de andar de moto devido a um problema no ombro e precisava de outra "máquina" motorizada, o "chamativo" anúncio de um fusca já meio que no estilo rat era a união das vontades, ter carro e com estilo próprio, mas o tempo nebuloso que falei deixou suas marcas no fusca, motor meio que batido, cabeçote da suspensão trincado, entre outros problemas que é melhor não falar.



 Segundo Sérgio, Argos, o filho dele, é o verdadeiro dono do Chernobyl, e ai de quem falar perto dele em vender o carro








...todo o assoalho foi refeito, muita funilaria foi necessária, além de retifica no motor, serviços na caixa de marcha, como eu disse, o carro estava judiado. Ele passou por um serviço completo, a carroceria foi desmontada e separada do chassi para que desta forma o carro se tornou confiável novamente.

Agora algumas melhorias e detalhes

 O Argos ajudando nos serviços

 Sempre tive a vontade de colocar calotas e pára-choques da década de 1960


 Considero a cereja do bolo, um amigo do Sérgio trabalhava na oficina da Harkey-Davidson de Recife, na área de pintura, deu um trato especial nas calotas, com direito a folhas de ouro. Um trabalho primoroso.



 Mais detalhes

 E os amigos dando aquele trato



 A alavanca alongada ajuda no problema do ombro

Mais um detalhe, a ponteira vinda de uma moto custom

   Como um bom rat deve ser, o projeto nunca pára, sempre tem algo algo mudando. 
   O Sérgio acabou se tornando um amigo, compartilhando comigo mais um pouco da história desse fusca que tenho muito carinho. O melhor é saber que está em boas mãos, sendo rat ou não, eu sei que o Chernobyl ainda tem muita história para vivenciar e mais história ainda para contar.

O Chernobyl como está!

   Tive o prazer de numa tarde ensolarada ser recebido na casa do Sérgio e junto com sua bela família poder tirar mais fotos do carro...







 Criatividade é tudo num rat até aquela velha frigideira pode virar a tampa do filtro de ar.

 Argos todo orgulhoso com o "seu" carro



 Os detalhes dourados das calotas

 Integrante com orgulho


 Um velho capô rende um bom sunvisor



 Para mim que passei tanto tempo ao lado dele, ele ainda me parece em boa forma



 Recado dado!

 A história está preservada nos adesivos e assim seguirá





 Chave tipo "mig" para os milhas


 Olha a marra do Sérgio, mas é gente boa demais







 A propósito, a barra de ferro segurada pelo Sérgio se chama "Direitos Humanos!" kkkkkk



 A bela família do Sérgio, Liliane (sua esposa) que muito em breve ganhará mais um ente querido, e o Argos, o "verdadeiro" dono do carro, família reunida ao lado do xodó

O antigo dono e os atuais, seja Rabugento ou Chernobyl, criando histórias, reunindo amigos, quem tem um antigo sabe do que falo, o carro se torna um canalizador de histórias e boas amizades.

Até a próxima!

Rabugento Cultura Custom